Your IP: Unknown · Your Status: Unprotected Protected

Blog News

VPN: desmascarando 6 mitos sobre essa tecnologia

Feb 25, 2019 · 6 min read

VPN: desmascarando 6 mitos sobre essa tecnologia

As VPNs não são tão bem compreendidas quanto deveriam ser, principalmente quando observamos a crescente quantidade de ciberameaças e notáveis violações de dados corporativos e das redes sociais. Existem certos mitos sobre as VPNs que são muito comuns, e é por isso que gostaríamos de esclarecer as coisas e mostrar por que você deve usar essa tecnologia diariamente!

1. Por que eu deveria pagar por uma VPN se posso baixar uma grátis?

Se o crescente império de dados do Google e o enorme escândalo da Cambridge Analytica com o Facebook não lhe deram uma pista, deixe-me esclarecer as coisas: quando uma empresa com fins lucrativos fornece um serviço gratuitamente, é porque eles estão usando você para ganhar dinheiro. Você é o produto, não o cliente. Não se esqueça dessa regra quando estiver avaliando os benefícios de uma VPN grátis versus uma paga. Toda empresa precisa pagar suas despesas, mas só poderá fazer isso tendo receita. Para tanto, ou ela vende o serviço para você, ou precisa vender seus dados ou a facilidade de encontrá-los. VPNs menos criteriosas até já venderam a largura de banda de seus usuários para corporações e hackers ou usaram seu acesso para distribuir malware. As VPNs gratuitas também oferecem menos recursos e não funcionam tão bem quanto as VPNs premium. Geralmente, elas possuem menos estrutura de pessoas e acesso a tecnologias mais modernas, e consequentemente não oferecem suporte a seus clientes e não conseguem lançar atualizações frequentes para acompanhar as tendências mais recentes em cibersegurança. As VPNs premium pagas respondem aos clientes, não aos anunciantes, e por isso têm uma motivação mais forte para entregar um produto que funcione.

2. Uma VPN tornará minha internet muito lenta

É verdade que as VPNs podem reduzir a velocidade da sua internet, mas não necessariamente. A intensidade da lentidão também dependerá das configurações escolhidas e da velocidade da sua VPN, mas geralmente será pequena demais para ser notada caso você esteja simplesmente navegando online. É natural que uma VPN reduza um pouco a velocidade do seu acesso à internet, pois o tráfego precisa ser criptografado e descriptografado antes de chegar a qualquer lugar. Outra fonte de latência adicional será o servidor que seu tráfego precisa visitar para ser descriptografado, mas, dependendo do país escolhido, talvez você não note qualquer diferença. Se você direcionar seu tráfego para um país do outro lado do mundo, sua latência definitivamente será impactada. No entanto, se selecionar seu próprio país, a desaceleração provavelmente será pouco perceptível. Há também alguns cenários em que você pode experimentar um aumento de velocidade. Para limitar os dados, os provedores precisam ver seu tráfego real, o que não podem fazer quando tudo estiver criptografado. Se não conseguirem limitar, você terá maiores velocidades de acesso à internet. Em casos raros, sua VPN pode até conduzir seu tráfego por uma rota mais eficiente do que a escolhida por seu provedor- especialmente se ele estiver enviando seu tráfego para algum lugar que não deveria.

3. Não existe uma VPN fácil de usar. Apenas os geeks de tecnologia se importam com isso

A tecnologia por trás das VPNs pode parecer misteriosa para alguns, mas a interface intuitiva da NordVPN e o suporte ao cliente 24 horas por dia, 7 dias por semana, fazem dela uma das VPNs mais simples de usar! Utilize a função Quick Connect quando tudo o que você precisa é de uma segurança rápida e fácil ou navegue pelas configurações e lista de servidores para personalizar sua VPN de acordo com suas necessidades. Outra função muito interessante e intuitiva é o Kill Switch. Quando ativa, ela protegerá automaticamente seu tráfego sempre que você acessar um wi-fi público. Além disso, a interface e a maneira de usar são sempre as mesmos em qualquer dispositivo, seja no desktop, smartphone ou tablet, facilitando bastante a adaptação do usuário. A menos que você seja um usuário tecnicamente avançado, provavelmente não conseguirá explicar a tecnologia por trás das VPNs, mas isso não o impede de usá-las!

4. Eu não preciso de uma VPN porque não tenho nada a esconder.

Os benefícios de uma VPN são óbvios para pessoas em países de censura repressiva ou que lidam com informações altamente confidenciais, mas e quanto ao cidadão comum que respeita as leis? Quem não tem nada a esconder do governo ou do provedor realmente precisa de uma VPN? Primeiramente, as VPNs não servem apenas para privacidade, elas também promovem a segurança. Todos nós queremos esconder nosso tráfego de cibercriminosos em busca de qualquer oportunidade para roubar nossos dados e potencialmente arruinar nossas vidas. Se você usa internet banking, envia emails com informações pessoais confidenciais, acessa serviços privados ou confidenciais, armazena arquivos importantes em seus dispositivos ou simplesmente acessa a internet, uma VPN certamente o ajudará a permanecer seguro. Como prova o incidente que atingiu a Securus, você nunca deve presumir que o governo usará os dados das pessoas de forma segura e responsável. E isso é verdade, quer você esteja falando sobre privacidade ou segurança. A vigilância é um caminho perigoso que pode levar a outras violações maiores ao longo do tempo, por isso você não deveria facilitar as coisas e deixar seus dados expostos. A privacidade é importante mesmo que você não tenha nada a esconder.

5. Apenas criminosos e hackers usam VPNs.

Criminosos e hackers certamente usam VPNs, mas estão longe de ser as únicas pessoas que se beneficiam da segurança online e do relativo anonimato. Veja alguns exemplos de pessoas e problemas reais que uma VPN ajuda a resolver:

  • Viajantes frequentes que se protegem ao utilizar Wi-Fis públicos, evitando que sejam hackeados com facilidade;

  • Cidadãos de países com censura que usam VPNs para burlar a censura e trocar informações;

  • Estudantes e trabalhadores estrangeiros que passam longos períodos no exterior e podem não conseguir acessar sites e serviços com restrições geográficas;

  • Jornalistas que desejam pesquisar informações com segurança sem medo de represálias.

  • Profissionais que trabalham com dados confidenciais ou segredos comerciais que devem permanecer protegidos.

  • Qualquer pessoa que valoriza sua segurança e privacidade online.

6. Uma VPN me manterá 100% seguro e anônimo sempre que eu usar a internet.

As VPNs certamente são ferramentas poderosas para a segurança e o anonimato, mas nem mesmo elas podem fazer tudo. Para uma proteção online quase perfeita, você precisará combinar sua VPN com outras ferramentas de segurança e um pouco de conhecimento sobre a internet. Separamos mais algumas dicas interessantes de como você pode se proteger:

  • Uma VPN não o protege quando o servidor que estiver acessando tiver sido comprometido. Uma vez que seus dados saem do túnel criptografado criado pela sua VPN, eles não estão mais nas suas mãos (ou nas nossas). Nem todos os serviços web e seus administradores seguem as melhores práticas de segurança de dados, portanto, tenha cuidado ao fornecer seus dados a terceiros. Talvez eles não sejam capazes de mantê-los em segurança. Procure sempre acessar sites e serviços que tenham Certificado de Segurança SSL, aquele famoso cadeado verde que fica ao lado do endereço de cada site.
  • Uma VPN não o protege contra a engenharia social. Os golpes são uma maneira popular de roubar informações do usuário porque eles podem contornar a maioria das medidas de segurança que estiverem em vigor. O golpista é uma pessoa geralmente articulada, bastante inteligente, que de alguma forma consegue convencê-lo a passar seus dados pessoais ou mesmo efetuar uma compra. Se você acreditar no golpista, ele passará por sua VPN, seu firewall e seu antivírus, basicamente porque você deixou isso acontecer.
  • Uma VPN não protegerá sua privacidade se você mesmo não o fizer. As práticas de coleta de dados de gigantes como Facebook e Google são feitas com o consentimento de seus usuários. Já escrevemos vários artigos sobre como restringir o fluxo de dados para seus servidores, mas só há uma solução se realmente quiser eliminar completamente seu rastro digital – parar de usar esses serviços. Com o advento do GDPR você até pode solicitar que eles excluam algumas de suas informações, mas ainda assim alguns de seus dados estarão disponíveis.
  • Nem todas as VPNs o protegem contra malware. Imagine que uma VPN seja um tubo de aço pelo qual passa seu tráfego online, e as partes de aço representam a criptografia entre as pontas. Nada consegue entrar pelos lados, mas se um vírus conseguir entrar por uma das pontas, ele poderá ir até o outro lado e causar estragos. Para continuar com essa analogia, um software antivírus representaria um filtro no tubo que bloqueia tudo aquilo que você não deseja. No entanto, algumas VPNs oferecem certa segurança. A NordVPN, por exemplo, oferece o recurso CyberSec, que impede o acesso a sites maliciosos conhecidos. Esta ferramenta será essencial para mantê-lo seguro, mas para se beneficiar da melhor proteção possível, você deverá combinar a NordVPN com um software antivírus dedicado.

Daniel Markuson
Daniel Markuson successVerified author

Daniel is a digital privacy enthusiast and an internet security expert. As the blog editor at NordVPN, Daniel is generous with spreading news, stories, and tips through the power of a well-written word.


Subscribe to NordVPN blog