Seu IP: Unknown · Seu status: Desprotegido Protegido
Blog Aprofundado

Os Tipos Mais Comuns de Ataque de Hacker e os Principais Tipos de Hackers

Aug 30, 2020 · Leitura de 5 min

Os Tipos Mais Comuns de Ataque de Hacker e os Principais Tipos de Hackers

Na Era Digital, segurança cibernética deve ser cada vez menos um conceito restrito a círculos técnicos e algo cada vez mais disseminado para os usuários, as pessoas em geral. Não é nenhuma novidade, mas é sempre bom reforçar que a internet não é segura.

Se você não sai na rua com a carteira cheia de dinheiro, exposta para qualquer um, por qual motivo você deixaria suas informações, redes sociais, senhas, dispositivos e registros expostos e vulneráveis aos ataques de criminosos?

Neste artigo, você vai aprender mais sobre segurança digital, os ataques mais comuns feitos por hackers e dicas importantes para melhorar sua proteção.

O que é um hacker?

Apesar de ser imediatamente associado a criminosos, o termo hacker também designa profissionais legítimos que, ao invés de usar os conhecimentos para prejudicar pessoas e cometer crimes, ajudam a explorar vulnerabilidades de sistemas e programas em geral para, ao identificar estas brechas, facilitar as melhorias de segurança.

Então, há outros termos usados para designar especificamente os criminosos e diferenciá-los dos hackers legítimos, como cracker, que são pessoas com conhecimentos avançados em tecnologia e que usam isto para cometer crimes e fraudes.

Quais os principais tipos de hacker?

tipos de hackers

Embora o termo seja bem abrangente, é possível dividir os hackers em diferentes tipos:

  • White Hats: traduzido como “chapéus brancos”, são os profissionais honestos, pesquisadores e operadores do ramo da segurança digital (ou segurança cibernética) que trabalham para descobrir brechas de segurança e melhorar a integridade de programas, sistemas e redes, ajudando a proteger usuários e seus dados. Eles trabalham tanto para empresas privadas quanto para órgãos de governo.
  • Black Hats: traduzido como “chapéus pretos”, são o oposto dos White Hats. Também possuem muito conhecimento sobre tecnologia, mas usam malwares (programas, códigos maliciosos) para invadir sistemas, roubar informações ou executar ações independentemente da vontade das vítimas; eles praticam crimes contra pessoas, empresas e até mesmo órgãos de governo, e são muito usados em ações de espionagem industrial ou guerra cibernética entre países.
  • Gray Hats: são profissionais que usam falhas de segurança em redes, programas ou sistemas e, com isto, tentam cobrar das empresas a realização de melhorias e soluções para estes problemas. O que difere os Gray Hats (“chapéus cinza”) dos White Hats é que, diferente destes últimos, eles divulgam estas falhas de segurança para o público em geral.
  • Script Kiddies: são criminosos que não se importam com nenhum tipo de ética profissional. A diferença entre estes e os outros tipos de hackers é que os script kiddies não são especialistas nem possuem grandes conhecimentos. Eles preferem seguir métodos que outros hackers criaram e ferramentas desenvolvidas por outras pessoas – são a categoria mais baixa dos hackers. Também são chamados de lammers.
  • Cracker: são pessoas que também possuem muito conhecimento em informática e tecnologia, mas que usam este conhecimento para invadir sistemas e obter ganhos pessoais (como os Black Hats)

O que um hacker precisa saber?

Um hacker é um profissional e, como qualquer outra categoria, precisa possuir um grande nível de conhecimento em sua área. No caso, hackers profissionais são especialistas em criação, elaboração e modificação de softwares.

Eles são especialistas principalmente em questões de segurança, verificando brechas, explorando vulnerabilidades e apontando soluções para elas – ou, no caso dos crackers, usando estas fraquezas em benefício próprio, para cometer crimes.

Em geral, os cursos de graduação que tratam da área de atuação dos hackers são cursos de Sistemas de Informação, Ciência da Computação, Engenharia da Computação, Engenharia de Software e Análise de Desenvolvimento de Sistemas.

O que é um ataque cibernético?

Um ataque de hacker (ou ataque cibernético) é um ataque feito contra um dispositivo, sistema ou rede com intenção de causar prejuízos à vítima e permitir que o criminoso (cracker) obtenha vantagens para si ou para outros.

Em resumo, são ataques para explorar vulnerabilidades e invadir redes e/ou dispositivos contra a vontade da vítima.

Geralmente, o objetivo principal é o roubo de informações pessoais (como senhas, acesso a redes sociais, fraudes em aplicativos, fotos pessoais, etc.) para obter vantagens e ganhos ilícitos.

tipos de ataques hackers

Quais são os tipos mais comuns de ataques?

Há uma infinidade de vírus (malware) usados para a prática de inúmeros ataques cibernéticos, mas é possível organizá-los em grupos específicos e tipos principais:

  • Cavalo de Troia: em inglês, trojan horse, (o famoso vírus cavalo de Troia) são ataques com objetivo de infectar e destruir um alvo, “unindo-se” ao sistema operacional para fazer com que a vítima não consiga usar o dispositivo de maneira adequada.
  • Port Scanning Attack: é um tipo de malware especializado em encontrar falhas de segurança em um sistema. São usados especialmente contra servidores e, assim, roubar informações contidas no servidor e nos usuários ligados a ele.
  • Ransomware: chamado de “sequestrador de dados”, são ataques que bloqueiam um dispositivo, servidor, rede ou sistema, sequestrando arquivos e dados e impedindo que a vítima os acesse; então, os criminosos exigem pagamentos em dinheiro para que a vítima possa recuperar o que foi roubado.
  • Brute Force: chamados de ataques de força bruta, são usados para conseguir obter chaves, senhas e informações de acesso das vítimas, usando programas que executam várias combinações até que a senha correta seja encontrada (ou mesmo tentativas manuais). Sistemas que bloqueiam o login depois de certa quantidade de tentativas geralmente são o suficiente para barrar estes ataques, ou mesmo um firewall.
  • Ataque DDoS: sigla para Distributed Denial of Service (ou “negação de serviço distribuída”) é feito para sobrecarregar uma rede ou servidor, usando todos seus recursos de memória e de processamento, causando a indisponibilidade de um website, portal, serviço ou até mesmo de uma rede inteira.
  • ZeroDay: ou “dia zero”, são ataques que procuram por falhas de segurança em um programa assim que ele é lançado, para explorar estas brechas antes que elas sejam corrigidas.
  • Man-in-the-middle: ou “homem/agente no meio” (ou “intermediário”), são ataques onde o criminoso intercepta o fluxo de informações entre um dispositivo (como um celular hackeado, por exemplo) aplicativo, website e a vítima.

Dicas importantes de segurança

Há certos comportamentos e ações que qualquer usuário pode tomar e que diminuem consideravelmente os riscos de sofrer estes e outros tipos de ataques.

É essencial manter um bom firewall sempre ativo, além de um antivírus profissional. Além disso, você deve sempre manter todas as atualizações de programas, sistemas e aplicativos sempre em dia. Evite baixar ou clicar em qualquer de que você não possa se certificar sobre a procedência e o conteúdo.

Crie senhas fortes e mantenha estas senhas bem protegidas, sem jamais compartilhá-las com terceiros.

Outro ponto fundamental é usar uma boa VPN, como a NordVPN, que oferece maior criptografia (com recursos como a ferramenta CyberSec), mais segurança contra estas vulnerabilidades e maior privacidade para suas atividades online.

Fique seguro com nosso serviço e nossas ferramentas avançadas de criptografia e privacidade.


Laura Klaus
Laura Klaus successAutor verificado

Laura Klaus is a content creator who is curious about technology and online privacy. She learns something new every day and shares that knowledge with readers worldwide.


Assine o blog da NordVPN