O seu IP: Desconhecido · O seu estado: ProtegidoDesprotegidoDesconhecido
Blog

Comportamentos seguros na internet: acabe com 20 maus hábitos

Conheça as vantagens e desvantagens da internet e corte com maus hábitos como ignorar updates 2FA, abusar de extensões, aceder a websites HTTP e outros.

Laura Klusaite

Laura Klusaite

Sep 28, 2020 · Leitura de 5 min

Comportamentos seguros na internet: acabe com 20 maus hábitos

Acabe com 20 maus hábitos para uma utilização mais segura da internet

1. Usar a mesma password em todos os serviços online

Se um hacker descobrir a senha que uma vítima utiliza num site ou serviço online, saberá automaticamente a senha de todos os serviços e websites onde a vítima esteja registada ou seja cliente. Utilizar senhas sempre diferentes dá mais trabalho, mas nada que um bom “password manager” não resolva. Se o seu password manager estiver online, convirá protegê-lo com uma boa ferramenta de criptografia.

Internet está cheia de perigos

2. Não usar autenticação em dois passos

A 2FA ou autenticação em dois passos não foi inventada para aborrecer os utilizadores. Nem, crucialmente, para deles obter mais dados pessoais. Pelo contrário, foi criada para tornar as contas online mais seguras. Adira a esta opção sempre que esteja disponível.

3. Descarregar anexos

Descarregar anexos

O entusiasmo do momento leva-nos a clicar em anexos, enquanto o aborrecimento nos leva a ignorar pedidos de ativação da autenticação em dois passos. Contrarie aquilo que está a sentir; em vez disso, guie-se por aquilo que pensa. Fazer download de um suposto jogo, de um alegado prémio ou de um qualquer vídeo sensacionalista é a melhor forma de autorizar malware no seu equipamento.

4. Não ter password no computador

É no computador, mais que em qualquer outro objeto, que está reunida mais informação pessoal sobre si. Não ter password no computador, especialmente se for portátil, é um convite a que um qualquer ladrão (ou um simples conhecido) saiba tudo sobre si.

5. Não ter proteção de ecrã no telemóvel

Smartphone bloqueado

O que foi dito para o computador é naturalmente válido para o telemóvel. Basta uma distração e um par de minutos para qualquer pessoa aceder às suas mensagens, fotos, etc. Nem sequer é necessário um roubo.

6. Demasiadas extensões de navegador

As extensões para desbloquear websites foram inventadas para facilitar a vida em determinadas situações, mas não exagere. Principalmente porque algumas extensões de Chrome ou Firefox poderão apenas ser veículos de disseminação de malware.

7. Ignorar atualizações de antivírus

O que foi referido quanto ao download de anexos é válido aqui. Os updates do antivírus são aborrecidos? Sim, mas são necessários, tanto ou mais que a autenticação por dois passos ou qualquer atualização de software em geral.

8. Não ter antivírus ou antimalware

Malware

Só é válido ignorar atualizações de antivírus se… não tiver nenhum antivírus instalado! O que é, evidentemente, uma forma bastante arriscada de utilizar um computador e a internet. Como alternativa, poderá aderir a um serviço VPN que se encarregue da proteção do seu dispositivo ou rede. Compre um e experimente.

9. Clicar em links de e-mails desconhecidos

O que dissemos para os anexos de e-mails desconhecidos é válido para o clicar em links, que servirão igualmente para instalar malware no seu aparelho. Lembre-se que a arte do phishing é semelhante à do burlão que se disfarça de técnico da Segurança Social para ser convidado a entrar em casa de pessoas idosas. Desconfie sistematicamente de e-mails, mesmo que pareçam credíveis.

10. Aceder a websites HTTP

O protocolo HTTP caiu em desuso e foi substituído pelo HTTPS, que incorpora a tecnologia de criptografia SSL. A diferença HTTP vs HTTPS é semelhante à diferença entre uma porta fechada no trinco e outra trancada à chave. Ambas protegem da chuva e do vento, mas só uma delas dá segurança. Atualmente, só websites antigos, amadores ou maliciosos ainda mantêm o protocolo HTTP.

11. Clicar em pop ups alertando para vírus

Pop ups

Se receber subitamente uma mensagem alertando para a existência de vírus no seu computador e a necessidade de instalar urgentemente um antivírus, isso é… malware, seguramente. O ideal é dispor um de bloqueador de ads e janelas pop up que resolva o problema à nascença.

12. Aceder à conta bancária num Wi-Fi público

As redes de Wi-Fi públicas são realmente vulneráveis à intrusão de hackers. Caso precise mesmo de aceder à sua conta bancária através de uma rede pública, é altamente recomendada a utilização de uma proteção VPN.

13. Guardar ficheiros na nuvem tal como estão

Computação em nuvem

A nuvem pode ser mais segura que o seu computador. Mas, em última instância, a nuvem é apenas um outro computador, algures noutra cidade ou país. As empresas de “storage” empregam certamente meios profissionais, mas não são imunes a ciberataques. A melhor forma de proteger o sigilo dos seus ficheiros ao carregá-los para a nuvem é encriptá-los, utilizando uma ferramenta como o NordLocker.

14. Descarregar ficheiros de websites maliciosos

Se vai deixar de fazer download de anexos que lhe chegam por e-mail, porque não deixar de aceder a websites não confiáveis. Software aparentemente útil, jogos ou conteúdos pirateados são frequentemente disfarces para a instalação de malware.

15. Reforce a password da rede Wi-Fi

Password da rede Wi-Fi

As suas passwords até podem ser seguras, mas se a senha da sua rede doméstica não o for, essa poderá ser a “backdoor” que os hackers necessitam para aceder aos seus dispositivos. Ainda mantém a password de fábrica?

16. Concordar com os Termos e Condições

É aborrecido ler os Termos e Condições de cada software ou aplicação móvel que instala. Mas é importante. Poderá “assustar-se” ao perceber que está a autorizar que o software recolha informação sobre si ou até que escute as suas conversas, ao arrepio do mais elementar bom senso em termos de proteção de dados. E talvez não valha a pena instalá-lo, no fim de contas.

17. Achar que o smartphone é seguro

Smartphone comprometido

O seu smartphone é tão ou mais passível de ser hackeado que o seu computador. É mais fácil de ser roubado ou de se perder, também.

18. Ignorar riscos de invasão de privacidade

Qual a vantagem de ter a webcam do seu portátil sempre desprotegida, mesmo quando não a usa? Qual a vantagem de ter a geolocalização do seu telemóvel sempre ligada?

19. Aceder à internet num Wi-Fi público sem uma VPN

Wi-Fi público

O que foi dito relativamente à conta bancária é válido para qualquer navegação feita numa rede Wi-Fi pública. Proteja-se.

20. Reforce todas as suas passwords

O que foi dito para a password da rede Wi-Fi é válido para todas elas. Para a do router, a do computador, das suas contas nas redes sociais e, acima de tudo, para o seu e-mail pessoal. Ter como password “123456”, o seu nome ou a sua data de nascimento é um verdadeiro convite ao hacking.