Seu IP: Desconhecido · Seu status: ProtegidoDesprotegidoDesconhecido

O que é um sniffer?

Sniffer é um tipo de ferramenta com grande impacto na sua privacidade e na segurança das suas atividades online. Apesar de atender propósitos legítimos, este tipo de software também pode ser usado para finalidades muito perigosas. Nesse artigo, você vai aprender mais sobre o que são ferramentas de sniffing, como elas funcionam, quais as utilidades delas e como se proteger da melhor forma possível.

Miglė Šimonėlytė

Miglė Šimonėlytė

O que é um sniffer?

Sniffer vem do inglês e pode ser traduzido como ‘’farejador’’ ou ‘’rastreador’’ e, na área de tecnologia, a palavra pode ser usada para se referir a software (ou também hardware) usado para monitorar e rastrear as ações de um usuário (ou vários usuários), permitindo o acesso em tempo real ao tráfego de internet.

De uma forma simples, sniffers são programas usados para monitorar as atividades em uma conexão (ou rede), e o mais famoso deles é o Sniffer, um software de monitoramento criado e mantido pela NetScout.

E o que é sniffing? Sniffing é o ato de monitorar atividades em uma rede através destes programas.

Como funcionam os sniffers?

Cada programa sniffer funciona de uma forma diferente. Eles até são conhecidos por mais de um nome, como analisadores de pacotes de dados, analisadores de redes ou analisadores de Ethernet, por exemplo. Mas todos eles são capazes de monitorar o que os usuários fazem em uma rede.

É importante notar que os sniffers também podem ser usados para manter a estabilidade do fluxo de dados e para detectar gargalos na utilização da largura de banda de uma rede (como no caso de sniffer de rede).

Para permitir o monitoramento das atividades dos usuários de uma rede, os sniffers primeiro capturam os pacotes de dados que circulam pela rede (levando e trazendo informações), e é assim que dá para saber o que uma pessoa faz na rede (os websites que ela acessa, as mensagens que ela envia, as imagens que ela salva, entre várias outras coisas, por exemplo).

Além dos sniffers na forma de software (programas), há também sniffers em hardware. Em geral, estes sniffers são colocados em dispositivos de rede (principalmente roteadores). As versões em software são mais usadas e mais populares do que as versões em hardware, principalmente por serem mais versáteis.

Alguns deles possuem recursos mais avançados e permitem um monitoramento mais amplo e invasivo, mas todos servem especificamente para este propósito: acompanhar, monitorar e até intervir no tráfego de dados em uma rede.

O lado bom dos softwares de sniffer

Os programas de sniffer podem ser usados para uma série de finalidades positivas e saudáveis. Eles podem servir como ferramentas que ajudam no trabalho de um analisador de rede, por exemplo.

Engenheiros de rede, administradores de sistemas e profissionais de TI em geral podem usar software sniffer para aprimorar o próprio trabalho e os processos. Elas ajudam a analisar dados (e pacotes de dados), analisar o tipo e o volume de tráfego em uma determinada rede, aprimorar a infraestrutura da rede e manter o bom desempenho dela.

Apesar da conotação negativa das ferramentas de sniffing, elas podem na verdade ajudar a testar o nível de segurança da rede e dos usuários e como melhorar os níveis de segurança da informação em uma rede ou uma intranet.

Muitas empresas usam ferramentas de sniffing para reforçar os sistemas e mecanismos de cibersegurança. Elas permitem identificar anormalidades no tráfego de dados na rede, o que ajuda a detectar e combater várias ameaças, como ataques de phishing, ransomware, DDoS (Distributed Denial of Service, ou ‘’distribuição de negação de serviço’’), malware e outras ciberameaças.

No ambiente empresarial, elas também ajudam a monitorar as ações dos funcionários, permitindo um melhor acompanhamento do trabalho que é realizado e da execução das tarefas.

O lado negativo dos softwares de sniffer

Programas de sniffing não são necessariamente ruins ou criminosos. Só que, assim como praticamente qualquer outro tipo de ferramenta, elas também podem ser usadas para propósitos criminosos, ilegais ou no mínimo antiéticos.

Hackers e cibercriminosos podem usar software de sniffer (ou net sniffer) para monitorar vítimas e roubar dados e informações sigilosas delas (como dados bancários, senhas pessoais, credenciais, senhas dos e-mails, entre outros). O uso criminoso ou antiético dos programas de sniffing sempre exige monitorar as ações dos usuários sem o consentimento deles.

As motivações para o uso prejudicial e negativo destas ferramentas são várias: facilitar a aplicação de golpes, descobrir informações comprometedoras para permitir extorquir a vítima, conduzir ataques de phishing, alterar as configurações do dispositivo, prejudicar o funcionamento da rede e muitas outras atividades do gênero.

Os cibercriminosos usam vários métodos para monitorar as vítimas através de software de sniffing, como técnicas de phishing e de engenharia social. Em geral, eles fazem com que as vítimas façam o download do programa de sniffing por mensagens falsas, links maliciosos e anexos que, ao serem baixados pelo usuário, permitem este monitoramento invasivo

Existe também o risco adicional das redes públicas de Wi-Fi, que são muito úteis aos cibercriminosos por serem mais vulneráveis às ferramentas de sniffing e de spoofing (quando um hacker consegue falsificar a própria identidade para obter vantagens ilegítimas).

Como estas redes são mais inseguras, os usuários ficam mais vulneráveis aos ataques de sniffing. É por isto que é essencial adotar medidas para melhorar sua segurança ao usar uma rede de Wi-Fi pública.

Para manter a privacidade de suas atividades na internet, use o aplicativo da NordVPN. Ele adicionará uma camada extra de segurança e proteção de identidade, criptografando seu tráfego.


Assine a NordVPN

Tipos de sniffers

Todos os sniffers servem para agir como um ‘’farejador’’, mas há tipos diferentes de sniffers: os de pacotes (também chamados de packet sniffer), de IP, de redes, de Wi-Fi, entre outros.

Como o nome já diz, sniffers de pacotes servem basicamente para inspecionar pacotes (ou seja, o fluxo de dados geral em uma rede). Os sniffers de IP monitoram o fluxo de dados através do IP dos dispositivos monitorados; os de redes e de Wi-Fi servem essencialmente para monitorar as redes como um todo.

Mas os programas de sniffer podem ser divididos em duas categorias gerais de forma mais abrangente e simplificada: os do tipo passivo e os do tipo ativo.

Sniffers passivos

Geralmente, eles são usados em hubs (dispositivos de rede mais simples, usados para conectar vários dispositivos em uma rede). Nestes hubs, todos os dispositivos recebem todo o tráfego nesta rede.

Então, os sniffers passivos recebem de forma passiva todo o trafegado da rede, permitindo a análise do fluxo recebido por eles. Eles são mais silenciosos e mais difíceis de serem detectados.

De forma simplificada, eles não tomam nenhuma ação propriamente dita sobre o fluxo de dados de uma rede, diferente dos sniffers ativos.

Sniffers ativos

Diferente dos sniffers passivos, os sniffers ativos são usados quando outros dispositivos são conectados a um hub. Como o volume de tráfego fica muito maior, há o uso de comutadores para resolver ou minimizar o aumento do uso de largura de banda da conexão, regulando o tráfego na rede através da separação dos dados neste fluxo e o envio deles apenas para os dispositivos que precisam recebê-los.

Como os sniffers passivos só conseguem visualizar dados que vêm e vão nos dispositivos nos quais estão hospedados, os sniffers ativos são usados para acessar a totalidade do tráfego de dados da rede, contornando o modo com o qual os comutadores fazem o direcionamento dos dados para cada dispositivo da rede.

De forma simplificada, os sniffers ativos desempenham um papel constante nos próprios processos de gerenciamento de dados de uma rede, enquanto os sniffers passivos não fazem isso, apenas recebendo os dados que passam pela rede.

Os sniffers ativos são mais fáceis de serem detectados, o que faz com que os cibercriminosos prefiram os programas passivos para dificultar a identificação dos crimes e golpes que eles cometem.

Como detectar e identificar um sniffer?

Em geral, sniffers são ferramentas muito difíceis de detectar, principalmente para os usuários mais leigos. Afinal, eles são programas bastante silenciosos, especialmente aqueles que se encaixam na categoria de sniffers passivos. Só que há maneiras de perceber a presença destes programas na sua rede.

Sniffers ativos são mais fáceis de detectar, mas eles também exigem certo nível de conhecimento técnico para serem descobertos pelos usuários.

Pode parecer irônico, mas uma das melhores formas de descobrir um sniffer na sua rede é usando um sniffer – como uma tática de combater fogo com fogo. Ao executar um programa sniffer, é possível monitorar o tráfego DNS na rede e, assim, identificar atividades que são suspeitos e incomuns (como um maior uso de largura de banda, por exemplo).

Só que a prevenção é o melhor remédio. E há vários meios de se prevenir contra este tipo de monitoramento e intrusão contra sua privacidade e sua segurança online.

Como se proteger contra sniffers

Você pode adotar algumas medidas para se proteger contra sniffers e assegurar mais privacidade e segurança para suas atividades e informações online e, assim, evitar uma série de golpes e danos que podem ser ocasionados pelo uso negativo deste tipo de programa. Aqui, nós separamos as principais dicas para ajudar na sua proteção:

Use um bom antivírus

O primeiro passo é usar um antivírus profissional e mantê-lo sempre ativo e atualizado, com verificações constantes para detectar possíveis ameaças no seu dispositivo. Uma solução antimalware profissional, como a Proteção contra Ameaças oferecida pela NordVPN, garantindo uma excelente defesa contra ferramentas intrusivas, malware e recursos como software sniffer.

Cuidado com as redes públicas de Wi-Fi

Redes públicas de Wi-Fi são, essencialmente, mais inseguras e vulneráveis. Grande parte delas sequer exige qualquer autenticação para que os usuários possam se conectar. Estes fatores fazem com que elas sejam ótimas para cibercriminosos realizarem ataques, inclusive instalar ferramenta sniffer no seu dispositivo e executar uma série de ataques (como o ataque man-in-the-middle, por exemplo).

Mantenha seu firewall sempre ativo

Manter seu firewall ativo o tempo todo também é fundamental para evitar ataques de sniffing. Eles servem como um bom muro de proteção para garantir a integridade e a segurança da sua conexão.

Preste atenção aos protocolos inseguros

Outro ponto importante é tomar muito cuidado com protocolos vulneráveis. Usar protocolos mais robustos e confiáveis é essencial para proteger sua conexão. Quando você navega, cada endereço eletrônico exibe um certificado de segurança: o tipo de protocolo HTTPS (Hyper Text Transfer Protocol Secure, ou protocolo de transferência de hipertexto seguro) é mais seguro que o HTTP (Hyper Text Transfer Protocol), por exemplo. Websites que não possuem nenhuma certificação são os mais vulneráveis e devem ser evitados, preferencialmente.

Use uma boa VPN

Uma VPN profissional (Virtual Private Network, ou Rede Privada Virtual), como a NordVPN, oferece criptografia para sua conexão, o que significa mais proteção para o fluxo de dados da sua rede e menos vulnerabilidade em relação a ataques contra a integridade da sua conexão e ações intrusivas, como as de software de sniffing e outras ameaças. Com um bom aplicativo VPN sempre ativo, você garante mais proteção e mais privacidade para o que você faz online e, claro, para seus dados e informações pessoais.

Use apps de mensagens instantâneas com criptografia de ponta a ponta

Ao usar apps para trocar mensagens instantâneas, escolha as opções que oferecem criptografia de ponta a ponta. Isto garante mais segurança para suas comunicações e te protege melhor contra ferramentas intrusivas, como software de sniffing.

Proteja-se contra os golpes e ataques de engenharia social

Ter um bom firewall, antivírus e uma ótima ferramenta VPN são elementos fundamentais para sua segurança, mas suas atitudes são o pilar central da sua segurança online. Hoje, os cibercriminosos manipulam cada vez mais as emoções e desejos das vítimas, usando estratégias complexas de manipulação, desinformação, ameaça e invasão, e os usuários são fundamentais para isto. Comportamentos de risco (baixar programas suspeitos, clicar em qualquer link, compartilhar senhas, não atualizar os sistemas, se expor em redes públicas de Wi-Fi e outras coisas). Então, o bom senso e a cautela são seus melhores aliados na defesa da sua privacidade e da sua segurança digital.

Sua segurança online começa com um clique.

Fique em segurança com a VPN líder a nível mundial


Miglė Šimonėlytė
Miglė Šimonėlytė Miglė Šimonėlytė
Miglė Šimonėlytė é uma gestora de conteúdo especializada em segurança cibernética e privacidade digital. Como entusiasta da tecnologia, seu objetivo é ajudar as pessoas a aprender como proteger a si e aos seus dados online.