Seu IP: Sem dados · Seu status: ProtegidoDesprotegidoSem dados

O que é NFT? Aprenda sobre como os tokens não fungíveis funcionam

No mundo digital, NFT é um conceito extremamente discutido e difundido. Mas ainda há muitas dúvidas, desinformação e conceitos equivocados em relação a este assunto. Aqui, nós vamos explicar o que são as NFTs, como elas funcionam, quais as principais vantagens e riscos ao utilizá-las e quais precauções você precisa tomar.

O que é NFT? Aprenda sobre como os tokens não fungíveis funcionam

O que é NFT?

NFT é a sigla para Non-Fungible Tokens (tokens não fungíveis). Eles são uma categoria nova de ativos digitais (como as criptomoedas) com base em blockchain e protegidos por tecnologias de criptografia. Uma NFT pode representar um item digital tangível, como uma obra de arte ou um livro, ou até mesmo uma propriedade (ou um imóvel) virtual. Há até tuítes que são transformados em NFT.

Para entender o que são as NFTs, é essencial distinguir o que são bens fungíveis e o que são bens não fungíveis (nos quais as NFTs se encaixam). Bens fungíveis são bens que podem ser mensurados, contados, pesados. Ou seja, não são bens categorizados por sua individualidade, mas por questões quantitativas e qualitativas. O dinheiro é um exemplo de bem fungível.

Os bens não fungíveis, por outro lado, são caracterizados por sua individualidade. Eles não podem ser trocados por outros bens de mesma categoria, espécie, quantidade e qualidade.

Tokens não fungíveis são usados como uma forma de provar a propriedade e/ou autenticidade dos ativos digitais através de tecnologia blockchain. Ou seja, eles são certificados digitais, basicamente. Cada NFT é única e não pode ser reproduzida, e é por isto que elas são usadas para representar itens individuais e únicos.

Nós podemos fazer uma espécie de analogia para explicar as NFTs como passaportes ou documentos de identidade digitais, já que cada token não fungível possui uma identidade única e intransferível. Obras de arte e objetos de artesanato únicos são exemplos de bens não fungíveis.

No Brasil, as NFTs ganham muito espaço. O país é o terceiro maior mercado de NFT do mundo. CryptoRastas, Isabelle Parra, Monica Rizzolli, Fesq e Renâncio Monte são alguns exemplos de artistas brasileiros que produzem conteúdo na forma de NFT. E há várias celebridades que já investiram no ramo, como o jogador Neymar – sozinho, ele comprou duas NFTs no valor total de US$ 1.1 milhão de dólares.

Apesar de existir muita confusão em relação ao conceito de NFT e para quais propósitos elas são usadas, entender como elas funcionam é a chave para desmistificar o que elas são e quais os usos práticos delas.

Como as NFTs funcionam?

Imagine que uma escola de samba crie uma fantasia única. Ela não quer copiar a mesma fantasia e, claro, tem que garantir a propriedade e autoria do item. O mais interessante é conseguir um certificado ou registro que garanta a autoria da fantasia e que funcione como certificado de propriedade. As NFTs são exatamente isto: um certificado digital para garantir a propriedade para o usuário.

Os tokens não fungíveis são criados através de tecnologia blockchain, um sistema digital descentralizado através do qual os registros são feitos e mantidos, o que garante o armazenamento seguro, confiável e praticamente inalterável das informações. Cada NFT tem um código de identificação próprio e único e metadados que são armazenados em uma blockchain, o que faz com sua replicação seja impossível.

As NFTs seguem o padrão ERC-721 (Ethereum Request for Comment #721, ou Solicitação de Comentário do Ethereum), que define as regras para criação de NFTs únicas na rede blockchain usada pela criptomoeda Ethereum.

As pessoas podem comprar NFTs como qualquer outro ativo digital, e as informações de propriedade são registradas em uma blockchain. O custo das NFTs varia e depende de vários fatores. Alguns tokens não fungíveis podem ser vendidos por milhões de dólares. O valor de uma NFT é determinado por questões de oferta e demanda e, quanto mais compradores em potencial, maior o preço da NFT.

As NFTs oferecem um meio para autenticação e negociação de itens digitais e físicos com menos probabilidades de fraudes e adulterações contratuais. Os códigos únicos de identificação e os metadados facilitam a verificação da autenticidade da propriedade quando as transações são concluídas.

Quais os usos das NFTs?

Os tokens não fungíveis são muito usados para compra e venda de ativos digitais (como obras de arte, colecionáveis ou itens usados em games), mas também podem ser usados como forma de tokenização de ativos físicos.

Há vários exemplos de usos para NFTs. Elas podem ser usadas para garantir a propriedade de imóveis digitais e físicos, itens e artigos de luxo e obras de arte. Aqui estão alguns exemplos de usos para as NFTs:

  • Artes: as NFTs podem ser usadas tanto para comprar quanto para vender obras de arte físicas ou digitais.
  • Colecionáveis: colecionadores podem comprar NFTs para representar artigos de coleção físicos e digitais, como itens esportivos, action figures, livros, miniaturas, entre outros.
  • Trading cards: as pessoas também podem comprar trading cards (ou cartas) tokenizadas via NFT.
  • Mundos digitais: também dá para comprar NFTs de mundos virtuais para garantir direito de propriedade digital que inclui inúmeros itens usados nos mundos de metaverso, como roupas, equipamentos, bichinhos de estimação, entre outros.
  • Nomes de domínio: as pessoas também podem comprar NFTs para representar nomes de domínio que depois podem ser vendidos ou mantidos como prova de titularidade e propriedade do domínio.
  • Músicas: as NFTs também servem para representar uma música em específico ou som em geral.
  • Fotos: fotógrafos podem criar e vender versões digitais de seus trabalhos através de NFTs.
  • Itens usados em games: os jogadores também podem comprar NFTs usadas em games e também vendê-las por preços mais vantajosos.
  • Utilidades, promoções e vantagens: NFTs também são usadas como identificação de clubes de vantagens, além de oferecer vantagens para consumidores.

E, claro, proprietários de NFT podem comprá-las com fins especulativos: as pessoas compram uma NFT que não vale muito inicialmente e, aí, esperam por uma possível valorização de mercado para revendê-las, buscando lucro.

Como as NFTs geram dinheiro?

O mercado de NFTs é bastante lucrativo. Só no ramo de games, as NFTs movimentaram mais de US$5.17 bilhões de dólares em 2021 (cerca de 30% de todo o dinheiro gerado pelas NFTs neste período).

Há várias formas de ganhar dinheiro com as NFTs e jogar é uma delas. Através do conceito de play to earn (jogar para ganhar), os games que usam estes recursos digitais recompensam os jogadores com NFTs que podem ser trocadas por outros itens, oferecer bônus e vantagens nos games ou serem vendidas em troca de criptomoedas ou dinheiro fiduciário (moedas emitidas por governos e bancos centrais, como o real, o dólar ou o euro, por exemplo).

Estes games são baseados em tecnologia blockchain e as NFTs são listadas e comercializadas de modo público. A maioria dos games do gênero são gratuitos para jogar, mas alguns itens ou pacotes pagos dão vantagens na hora da mineração e obtenção das NFTs. Então, muitos destes games que se vendem como gratuitos acabam se tornando pay to win (pague para ganhar).

Ragnarök Landverse, Axie Infinity, Gods Unchained, RobotEra, Splinterlands, Sorare e RobotEra são alguns exemplos de games NFT.

Além dos games, as NFTs também podem gerar dinheiro através de especulação: as pessoas compram uma NFT e esperam que o valor de mercado aumente para, assim, revender a NFT e obter ganhos.

Como elas são usadas como títulos digitais de propriedade, vendê-las para pessoas que têm interesse na propriedade em si também é algo bastante lucrativo. As artes em NFT também movimentam muito dinheiro, tanto pelo valor das obras em si quanto pelo teor especulativo destas transações.

Exemplos reais de NFT

A quantidade de tokens não fungíveis disponíveis no mercado só aumenta, mas nós podemos listar alguns exemplos de projetos de destaque:

  • Quantum: a primeira NFT criada, surgiu em 2014 e foi criada por Kevin McCoy e Anil Dash. Basicamente, trata-se de um videoclipe feito pela esposa de McCoy e serviu para abrir caminho para as NFTs enquanto conceito e recurso.
  • GucciGhost: a Gucci, uma marca de grife de luxo, criou esta NFT em parceria com o artista Trevor Andrew, que usou a propriedade intelectual da marca para criar sua própria coleção de NFTs.
  • Nyan Cat: criada pelo artista Chris Torres com base em um meme bastante conhecido, foi vendida por US$ 600 mil dólares.
  • Bored Ape Yacht Club (BAYC): são imagens de macacos com várias roupas e adereços, geradas por inteligência artificial, formando uma coleção de NFTs.
  • Hera: criada por Vamoss, a NFT é uma arte abstrata comercializada digitalmente através da OpenSea.
  • Episcia reptans: criada pela artista brasileira Moniza Rizzolli, ela é comercializada pela Rarible.
  • LUCKY 1300: de autorida do artista Lukas Azevedo, este é outro exemplo de projeto brasileiro de NFT disponível pela OpenSea.
  • RTFKT: a RTFKT é uma coleção de edição limitada criada por uma empresa de moda digital e inclui 5000 imagens.
  • Decentraland: trata-se de um projeto de mundo virtual 3D construído com Ethereum e tecnologia blockchain no qual os usuários podem criar avatares, construir estruturas e interagir entre si.
  • CryptoPunks: é uma coleção de 10000 imagens criadas pela Larva Labs, uma empresa de desenvolvimento de software.
  • NBA Top Shot: é um marketplace de NFT criado pela NBA na qual os usuários podem comprar e vender videoclipes de jogos de basquete. Ele foi lançado em 2020 em parceria entre a NBA e a Dapper Labs (que também criou o projeto CryptoKitties).
  • CryptoKitties: o primeiro grande projeto NFT registrado, é uma plataforma que permite a comercialização de imagens digitais de gatos. As trocas são feitas com base na blockchain Ethereum.
  • WarNymph: criada pela cantora e artista Grimes, a coleção foi vendida por US$ 6 milhões de dólares.
  • Everydays – The First 5000 Days: formada por uma colagem de 5000 imagens digitais tiradas em dias consecutivos pelo artista Mike Winkelmann, é um dos exemplos mais significativos de arte digital NFT.

Como criar NFTs?

Criar e vender uma NFT pode ser algo bastante lucrativo e qualquer pessoa pode criar e vender NFTs em marketplaces dedicados (e só precisam de acesso às ferramentas necessárias).

No geral, este é o processo para a criação e comercialização de NFTs:

  • Decida o que você quer criar: como as NFTs podem representar uma ampla variedade de coisas, você precisa definir um escopo para o qual sua NFT vai se direcionar. Pode ser uma obra de arte digital, uma música, um vídeo, uma NFT para games, entre outras coisas.
  • Escolha a blockchain com a qual você vai trabalhar: selecione a plataforma blockchain para usar e, assim, criar e armazenar suas NFTs. Ethereum, Flow e Binance são alguns exemplos de plataformas blockchain com suporte para NFT.
  • Escolha uma carteira digital: selecione uma carteira que seja compatível com a blockchain que você vai usar. Para criar uma carteira, baixe o app da carteira de criptoativos, crie seu cadastro e finalize os processos. CoinBase, MetaMask e Ledger Nano X são as três carteiras de criptoativos para NFT mais populares.
  • Escolha uma plataforma NFT: depois, você vai precisar escolher a plataforma para criar sua NFT propriamente dita. Há várias plataformas disponíveis e é melhor escolher uma opção com marketplace que permita a criação, listagem e venda das suas NFTs. OpenSea, Solanart e Binance Exchange são alguns dos exemplos mais populares de plataformas para NFT.
  • Crie a NFT: conecte sua carteira na plataforma NFT selecionada e faça o upload das suas artes e conteúdos digitais. Certifique-se de definir os termos e condições para a sua NFT, como preço, royalties e direitos de propriedade.
  • Faça a listagem das NFTs para a venda: depois, o passo final é fazer a listagem da sua NFT nas plataformas que você quiser. No geral, as plataformas cobram uma taxa para fazer a listagem da NFT no marketplace, além de cobrar uma porcentagem sempre que alguém adquirir sua NFT.

Por que as NFTs são tão caras?

No geral, a comercialização de NFTs envolve grandes somas de dinheiro, e muitas NFTs podem chegar a valer milhões de dólares. Mas, afinal de contas, por qual motivo elas são tão caras?

Há algumas razões principais que causam a elevação do preço destes ativos digitais não fungíveis:

  • Escassez: cada NFT é única, o que significa que não há duas iguais. A escassez aumenta o valor da unidade. Coleções específicas de NFTs podem ser lançadas em edições limitadas, o que significa que o valor pode aumentar depois da venda. Um bom exemplo é o projeto Crypto Punks, que lançou apenas 10000 unidades da CryptoPunks. Esta disponibilidade limitada fez com que toda a coleção fosse comercializada em $2 bilhões de dólares.
  • Autenticidade: armazenar NFTs em uma blockchain significa verificar a autenticação de modo fácil. Cada NFT possui uma singularidade mostrada através de metadados e ninguém pode copiá-las e reproduzi-las. A The Merge, a NFT de maior valor já comercializada até hoje, foi vendida por mais de $90 milhões de dólares.
  • Reconhecimento social: alguns proprietários de NFT recebem reconhecimento social através da aquisição de NFTs específicas. Os preços são registrados em uma blockchain e, como todo mundo pode acessar estas informações, há um sentimento de orgulho e ostentação para alguns usuários, o que por si só ajuda a elevar os preços.

No caso do mercado brasileiro, os preços podem ser ainda maiores quando as NFTs são comercializadas em dólar. E, como a moeda estadunidense tem mais valor em comparação com o real brasileiro, estas flutuações de câmbio também ajudam a puxar os preços para cima.

Como comprar NFTs?

Para comprar uma NFT, você precisa de uma carteira digital compatível com o marketplace NFT que você escolheu. Aqui estão alguns passos que você vai precisar seguir para comprar estes recursos digitais:

  • Conecte sua carteira digital: primeiro, você vai precisar conectar sua carteira digital com a plataforma de vendas de NFT que você escolheu.
  • Coloque recursos na sua carteira digital: sua carteira digital vai precisar de fundos (no geral, criptomoedas). Verifique quais criptomoedas são aceitas pela plataforma que você escolheu. A maioria delas aceita Bitcoin e Ethereum.
  • Encontre a NFT que você quer comprar: depois, você precisa encontrar a NFT que quer adquirir no marketplace adequado no qual ela é comercializada.
  • Conclua a transação: este passo pode depender da plataforma que você escolheu, mas o processo é bem intuitivo na maioria delas. Conclua a transação para executar a aquisição da NFT.

As NFTs são seguras?

Uma pesquisa feita pela NordVPN mostrou que 68% dos entrevistados que eram familiares com NFTs se preocupam com potenciais riscos de segurança. Então, de modo geral, a preocupação é real e legítima. NFTs são recursos e, como qualquer outra coisa, a segurança depende do intuito do uso delas.

Comprar uma NFT de um marketplace confiável é seguro, principalmente porque as NFTs são armazenadas em carteiras de criptoativos e são mantidas em tecnologia blockchain, o que garante a autenticidade e segurança dos registros.

Mas é muito importante ter em mente que compradores e vendedores de NFTs ainda precisam levar em consideração várias questões de segurança. As duas maiores ameaças ao mercado de NFTs são os ataques de phishing e as infecções com malware. Em 2022, a OpenSea, um dos maiores marketplaces de NFT do mundo, alertou seus usuários sobre ataques com e-mails de phishing. O alerta foi emitido depois de um vazamento de dados que afetou todos os usuários que haviam compartilhado endereços de e-mail com a plataforma.

Na pesquisa feita pela NordVPN, 48% dos entrevistados afirmaram que se preocupam com os perigos de sofrer golpes com a venda de falsas NFTs comercializadas por golpistas que se passam por artistas reais e conhecidos, vendendo arte falsa ao usar o nome de criadores reais.

Apesar de não ser fácil fazer estas falsificações, há vários tipos de scam cometidos através de NFTs. Com a popularização das NFTs, os marketplaces e plataformas do ramo são cada vez mais visados pelos cibercriminosos.

As NFTs são suscetíveis a uma série de riscos que precisam ser mencionados, e os principais deles são:

  • Liquidez: o volume de negociações pode cair da noite para o dia, o que faz com que o mercado de NFTs seja bastante instável.
  • Shitcoins: shitcoins são NFTs sem nenhum tipo de valor, criadas com valorização artificial para chamar a atenção de compradores em potencial em projetos que, logo depois, são abandonados (como games que atraem compradores prometendo NFTs de grande valor e depois são descontinuados).
  • Volatilidade: NFTs são extremamente voláteis. Assim como elas podem passar por uma imensa valorização, elas também podem perder valor de mercado da noite para o dia, o que gera imensos prejuízos. Apesar de muitas pessoas ganharem dinheiro com a especulação com NFT, é essencial ter em mente que os valores mudam e que não há lucros garantidos
  • Golpistas: os scammers também são um péssimo risco quando lidamos com NFTs. Muitos cibercriminosos miram nas plataformas de marketplace de NFTs e nos entusiastas do ramo, tudo com objetivo de tirar proveito, ter ganhos financeiros e executar golpes (que, muitas vezes, incluem imensos projetos que se mostram falsos e inescrupulosos).

Como qualquer tipo de investimento e transação, é essencial tomar uma série de cuidados e precauções antes de fechar negócios envolvendo ativos digitais como as NFTs.

Como se proteger e proteger suas NFTs

Se você investiu ou pretende investir em tokens não fungíveis, você precisa adotar algumas práticas de segurança. Como as NFTs formam um mercado bilionário, os cibercriminosos estão de olho para aproveitar qualquer chance de obter vantagens. Aqui estão alguns passos para se proteger e proteger suas NFTs:

  • Use uma carteira de criptoativos segura e confiável: escolha uma carteira que priorize a segurança dos usuários. Proteja seu acesso com uma senha forte, autenticação de dois fatores e autenticação biométrica.
  • Mantenha suas chaves privadas em segurança: guarde suas chaves privadas de modo seguro e protegido, como alguma carteira de criptoativos mantida offline.
  • Cuidado com golpes de phishing: preste bastante atenção em e-mails estranhos, mensagens duvidosas e qualquer tipo de arquivo enviado em anexo. Verifique a autenticidade da mensagem, do aplicativo e website antes de qualquer coisa.
  • Busque informações sobre o marketplace e o projeto NFT: antes de comprar uma NFT, certifique-se de procurar o máximo possível de informações sobre o projeto, os desenvolvedores e a plataforma de comercialização. Busque análises isentas, principalmente de compradores e apoiadores.
  • Monitore suas transações de NFTs: fique de olho nas suas transações para identificar atividades não-autorizadas e qualquer coisa estranha e suspeita. Entre em contato com o suporte do marketplace imediatamente se perceber qualquer coisa estranha.
  • Verifique o código do contrato: analise o código do contrato e busque por qualquer erro ou vulnerabilidade.
  • Evite usar redes públicas de Wi-Fi: não acesse suas carteiras digitais nem suas NFTs em redes públicas de Wi-Fi, já que elas são mais suscetíveis a ataques e são mais vulneráveis.
  • Use uma boa ferramenta VPN: com um programa VPN confiável e profissional, você garante a criptografia dos seus dados e da sua conexão.
  • Use proteção contra malware: um bom antivírus é essencial para manter a segurança do seu dispositivo. A NordVPN conta com a funcionalidade de Proteção contra Ameaças, que ajuda a manter seu dispositivo livre de malware, além de bloquear URLs maliciosas e rastreadores, além de escanear seus arquivos baixados para verificar se eles nocivos. Também é essencial manter as atualizações de segurança, de programas e sistemas, já que elas corrigem vulnerabilidades e erros que podem ser usados pelos cibercriminosos.

Sua segurança online começa com um clique.

Fique em segurança com a VPN líder a nível mundial

Diferenças entre NFTs e criptomoedas

Tanto as criptomoedas quanto as NFTs são ativos digitais ou criptoativos. Mas há algumas diferenças essenciais entre elas.

As NFTs são bens não fungíveis, ou seja, que não podem ser replicados e cuja principal característica é a individualidade. As criptomoedas, por outro lado, são bens fungíveis, que podem ser replicados.

Enquanto no caso das criptomoedas um dos principais objetivos é acumular o máximo deste ativo digital, as NFTs têm como principal fator de atratividade justamente a individualidade delas.

Qual o futuro das NFTs?

As NFTs ainda estão em evolução e é impossível prever o futuro, mas nós podemos perceber algumas tendências do presente. Com o crescimento delas, podemos dizer que os tokens não fungíveis tendem a se tornar cada vez mais populares.

Muitas empresas já começam a usar NFTs para propósitos além da criação e comercialização de artes digitais, itens para games e colecionáveis. Elas podem ser mais utilizadas inclusive para garantir a propriedade de bens reais e tangíveis.

Além disto, as NFTs podem passar por integração com outras tecnologias, como realidade ampliada, inteligência artificial, a IoT e a realidade virtual. E, claro, elas podem ser usadas para preservação ambiental, já que são uma forma de recursos muito menos invasiva que outras formas convencionais.

No caso do Brasil, as formas culturais existentes (como ritmos musicais, pinturas, desenhos, animações e outras formas de artes) já estão presentes nos mercados de NFT, o que pode representar tanto novas formas de difundir artes já existentes quanto a criação de novas formas e moldes artísticos.

No geral, nós podemos dizer que as NFTs vão ser moldadas por vários fatores tecnológicos e, claro, também pode ajudar a moldá-los.


Nós valorizamos a sua privacidade

Este site utiliza cookies para proporcionar a você uma experiência mais segura e personalizada. Ao aceitar, você concorda com o uso de cookies para anúncios e análises, de acordo com a nossa Política de Cookies.