O seu IP: Desconhecido · O seu estado: ProtegidoDesprotegidoDesconhecido
Blog Em detalhe

Será o Windows Defender suficiente em 2022?

O Windows Defender é o serviço antivírus nativo do Windows, isto é, fornecido de origem pela Microsoft juntamente com o seu sistema operativo. Surgiu pela primeira vez no Windows Vista e desde então não mais deixou de fazer parte do conjunto. Veja em seguida tudo sobre o sucessor do antigo Windows Security Essentials (que já não é compatível com o Windows 10) e conheça algumas questões de privacidade que o uso do Defender pode levantar.

Laura Klusaite

Laura Klusaite

Nov 08, 2021 · Leitura de 5 min

Será o Windows Defender suficiente em 2022?

Sendo desenvolvido constantemente (integrando os famosos “updates” da Microsoft), o Windows Defender é bom para proteger o seu computador contra os principais tipos de malware, os mais comuns. Se não quiser investir num software antivírus, ou instalar uma versão grátis de um antivírus que lhe peça constantemente um “upgrade” para uma versão paga, é uma boa opção. É, pelo menos, a opção de segurança de base para quem usa um computador – o equivalente a trancar a porta exterior da nossa casa à chave.

Mas será o Windows Defender suficiente contra hackers e cibercriminosos profissionais? Eventualmente, não. Para as ameaças mais elaboradas, pode revelar-se insuficiente, principalmente porque nem sempre o seu ritmo de desenvolvimento acompanha o ritmo do malware. Além disso, o seu modo de funcionamento continua a assemelhar-se ao dos antivírus mais antigos, com “scannings” muito prolongados que podem deixar o computador mais lento.

Quais as vantagens atuais do Windows Defender?

O Windows Defender tem vindo a ser melhorado, e atualmente compreende:

Proteção contra sites de phishing

É importante que o nosso sistema operativo nos ajude e detete por nós sites especializados em lançar ataques de phishing, passíveis de capturar os nossos dados.

Ameaças em tempo real

Além dos focos de phishing já conhecidos, o Defender está preparado para detetar ameaças diversas em tempo real.

Firewall

A firewall é uma das barreiras mais antigas do leque de defesas contra intrusos e continua a fazer parte da oferta de base da Microsoft

Controlos parentais

A Microsoft tem vindo a responder a algumas exigências dos consumidores e a nível mundial. É mais fácil, agora, monitorizar e controlar a atividade das crianças.

Relatórios de desempenho

Para os utilizadores com alguma experiência, os relatórios ajudam a compreender o funcionamento do sistema e a detetar eventuais problemas.

Quais as principais desvantagens do Windows Defender

Controlos parentais limitados

A monitorização da atividade das crianças é limitada ao Microsoft Edge, o browser da própria Microsoft. É compreensível do ponto de vista comercial, mas insuficiente para muitos utilizadores.

Interface pouco amigável

Há décadas que subsiste um velho estereótipo: a Apple é uma empresa de designers e a Microsoft de engenheiros informáticos. As ferramentas da Microsoft parecem sempre sofrer em termos de usabilidade, e continua a ser o caso do Windows Defender.

Taxas de deteção de malware baixas

A Microsoft não é uma empresa de cibersegurança. Esta realidade continua a ser insuperável. Diversos testes mostram que as taxas de deteção de malware por parte do Defender são inferiores aos das ferramentas especializadas.

Ferramentas básicas

Pelo mesmo motivo citado no ponto anterior, o Defender não inclui instrumentos avançados como um gestor de passwords, uma VPN, proteção de identidade ou monitorização da dark web.

Relatórios de desempenho básicos

É importante que um serviço antivírus ofereça ferramentas de deteção e remoção de malware, bem como de otimização do sistema, mais avançadas que as proporcionadas pelo Windows Defender.

Deverei continuar a usar o Windows Defender

Em suma, o Windows Defender tem as virtudes e defeitos de uma ferramenta gratuita: “desenrasca”, na melhor aceção do termo em português, mas não confere uma verdadeira proteção. Pior: pode dar-se o caso de estar a tornar o seu computador mais lento sem que os benefícios em termos de segurança compensem.

Como desativar o Windows Defender no Windows 10

1. Pressione as teclas Windows e S em simultâneo para abrir a caixa de pesquisa. Escreva “Windows Defender” (ou “Segurança do Windows” se estiver a usar uma versão mais recente do Windows 10) e clique Enter. Entrará no painel de gestão.

desativar windows defender: passo nº1

2. Selecione Proteção contra vírus e ameaças à esquerda e clique em Gerir definições.

desativar windows defender: passo nº2

3. Mude a Proteção em tempo real para Desligado. Também poderá desligar a Proteção disponibilizada em cloud ou o envio automático de exemplos.

desativar windows defender: passo nº3

4. Uma janela de confirmação surgirá, perguntando se quer mesmo desligar o Windows Defender. Clique em Sim.

5. Se mais tarde pretender ativá-lo novamente, basta seguir os mesmos passos.

Outras medidas para proteger a sua privacidade

Controle os seus outros aparelhos

O seu computador provavelmente não é o único aparelho ligado à sua rede doméstica. O smartphone, o tablet, os telemóveis dos seus familiares também estão. O desenvolvimento da Internet das Coisas (IoC) tem feito crescer o número de aparelhos computorizados e capazes de se ligar à net, logo, representam mais possíveis ameaças. Já pensou que o seu aspirador robot, controlado por uma app no telemóvel, tem um mapa da sua casa? O próprio Wi-Fi router deve ser devidamente protegido.

Procure alternativas ao Google

O mundo tem boas razões para estar grato a Larry Page e Sergey Brin pelo motor de pesquisa que criaram há mais de 20 anos. Mas temos de reconhecer que se há empresas especialistas no os de utilizadores, é esta. Pode ser difícil, mas é possível encontrar alternativas ao motor de pesquisa, ao e-mail e aos outros serviços da gigante californiana.

Cautela com as redes sociais

Constatamos que o Facebook se tornou um sucesso ao sabermos que a plataforma consegue criar perfis de pessoas que não têm conta no serviço – somente com base no que outras pessoas partilharam sobre elas. Imagine o que poderá fazer com os dados baseados nas suas próprias partilhas. O uso das redes sociais deve ser feito com o máximo de cautela e parcimónia.

Use aplicações de mensagens realmente seguras

A necessidade de usar aplicações de mensagens que recorram a encriptação já quase pertence ao senso comum.

Use uma VPN

O que é uma VPN? Uma rede privada virtual ou “virtual private network” (VPN) é o “túnel” ou “escudo protetor” que liga o seu aparelho ou rede à internet criando uma “cortina de privacidade”. O seu fornecedor de serviços de internet, as agências governamentais, os anunciantes e outros profissionais de marketing, e os hackers – todos ficarão “às escuras” quanto à sua atividade. A VPN protege-o mesmo se estiver a usar uma rede Wi-Fi pública, mais vulnerável que as redes domésticas ou empresariais. A política estrita de não registo que aplicamos na NordVPN assegura que ninguém – nem sequer nós mesmos! – acederá à sua informação pessoal.

A segurança online começa com um clique.

Fique em segurança com a principal VPN do mundo

Também disponível em: English